Archive of ‘Sam vs. Carmen’ category

Um pouco indignada

É, eu sei, eu andei abandonando o Loveshelf de novo.

Foi um tempo pra me dar um tempo e para trabalhar com todas as minhas forças para colocar o site mais lindo do mundo no ar.

Daí aos poucos eu voltei a navegar aleatoriamente pela internet, procurar inspiraçãoes e fiquei indignada, até desanimada, com algumas coisas que vi por aí.

A começar pela abertura da Sephora aqui no Brasil, sobre a qual eu vou escrever um não-post, até porque todo mundo já escreveu tudo que se podia saber sobre a Sephora, os produtos e os preços. Teve gente que achou o máximo e vai se esbaldar, teve gente que chiou até não poder mais dos preços. Mas em uma coisa todo mundo concordou: os impostos no Brasil são muito caros. Mas disso eu discordo. Os impostos no Brasil são altos, mas os preços são MUITO mais. Porque as pessoas pagam. Porque elas acham chic pagar caro e falar que pagaram caro. E é isso que me desanima. Das pessoas realmente acreditarem que a culpa dos preços é só dos impostos. Pronto, fechado o assunto da Sephora.

Mas o que me deu desgosto foram dois e-mails que recebi com produtos que, coincidentemente, tinha visto versões muito parecidas em sites de fora do Brasil na mesma semana, e que, bem, vejam o que acontece.


Esse colar, que eu encontrei na Peacock Plume por US$45, tinha uma versão muito parecida, também de plástico na OQVestir por R$469. Impostos? Não, o colar é bem brasileiro.


E daí no e-mail da Tok&Stok, o subject era mesinha por apenas R$99. Mas essa mesinha eu conheço bem, custa 6,99 na Ikea, a gigante sueca de móveis de design super acessível. Entenderam?

Daí eu fico total sem coragem de pagar pelas coisas aqui. Compro tudo pela internet e, se a culpa fosse mesmo dos impostos, não valeria a pena comprar pela internet, mesmo pagando os impostos aqui. Né?

Papo de geek: onde comprar jogos de videogame

Eu acho a maior palhaçada do século os preços de jogos de videogame aqui no Brasil. Não é a toa que a pirataria está aí prosperando e a indústria reclama que não tem perspectivas.
Minha gente, um jogo de videogame não passa de um DVD! Não tem porque custar R$200!

A boa notícia é que joguinhos comprados no exterior são raramente taxados quando entram no Brasil e existe um site ótimo para isso, o eStarland.
Eu já tentei comprar na Amazon, mas a Amazon cobra umas taxas cabeludas de shipping & handling, que nada mais são que os impostos exigidos pela alfândega do Brasil e acaba não valendo a pena.
No eStarland, eles tem atendimento por telefone em português, enviam seu pacote como presente, declaram um valor menor para a alfândega brasileira e ainda postam como pessoa física, usando nomes de brasileiros. =)
Não é o máximo?

Recomendo master, já comprei várias vezes, mas só para jogos, ok? Nada de consoles!

E mesmo com as poucas alternativas que nos restam, só gostaria de deixar claro antes de mais nada que sou contra a pirataria. A indústria de games não tem culpa se o governo brasileiro rapela os cidadãos e se os varejistas terminam de esfarelar nosso couro botando a culpa nos impostos e dobrando a margem de lucro. E também parto do princípio que quem compra cópia é porque merece, então evitemos os impostos (brasileiros), mas façamos o que é certo.